Abrimos a caixa?

Um presente inesperado, embrulhado em sentimentos, adornado pela vida e colado com a morte. Nesse instante, a curiosidade e o medo unem-se e rapidamente a prenda é descoberta: uma caixa. Levanto a tampa da caixa; o coração palpita aceleradamente; as lágrimas caem bruscamente e o Burkitt espalha-se tanto pela minha vida como pelo meu corpo. Quando abrimos a caixa, […]

Ler Mais

4×2=8

As doze badaladas conduzem-me à retrospecção. Perco-me em pensamentos e regresso ao dia 6 de maio de 2016, data em que a minha vida mudou, tinha 25 anos e uma vida pela frente. No entanto, naquele dia tinha unicamente um linfoma em último grau, um mundo despedaçado e 4 ciclos que estavam ainda tão longe. Lembro-me do choro, das […]

Ler Mais

Espelho meu!

Discretamente olho para ti enfrentando as diversas transformações e questionando o conteúdo refletido. Aos poucos, começo a gostar de ti, a familiarizar-me com as tuas particularidades e a interpretar a tua arte.  Gabi: Espelho meu, espelho meu, existe alguém… Espelho: Minha querida, existem várias pessoas como tu. O problema é que nem sempre estamos dispostos a ver todas […]

Ler Mais

Ama-te

A data aproxima-se, a decoração alastra-se e a pergunta impõe-se “O que vais fazer neste dia?“. Atendendo ao estado civil, à crença na simbologia e à devoção ao Santo as respostas manifestam-se entre gritos de euforia, vozes deprimidas ou ruídos de indiferença. No entanto, suponhamos que o safado do Miúdo, independentemente de termos ou não um apaixonado, lançava flechas […]

Ler Mais

Uma nova Chave

Encaixo-a cuidadosamente na fechadura, rodo-a suavemente e ela abre: a felicidade de estarmos aqui, a conquista de chegarmos aqui e o acreditar até aqui. O que deveria ser só uma mudança de casa tornou-se, afinal, uma inauguração de confiança no tempo! Entro com o pé direito, lado a lado com o meu companheiro de casa e de vida. […]

Ler Mais

O Tempo não te apagará…

Quando o inesperado se organiza com o acontecimento desponta a célebre expressão: a vida é uma caixinha de surpresas. No entanto, queremos ou não ser surpreendidos? Estamos ou não preparados para o ser? A música, adivinha o quanto gosto de ti, foi o ponto de partida para transformar a minha ideia num presente exequível. De […]

Ler Mais