A Agulha do Tempo

Inesperadamente, introduziu a agulha ativando a alavanca e transportando-me para um lugar imoto. Um sítio onde revivi tudo, onde a dor emocional superou a física.

Não era só uma biópsia… era, novamente, uma prova do tempo!

Com os olhos fechados; deitada de lado; atenta nas suas indicações e com as suas mãos ao fundo das minhas costas comecei a girar, a girar e acelerando o movimento giratório embati num tempo bem longínquo.

Um lugar caracterizado pelas badaladas de gotas azuis, pela descrença na quantidade de areia  e pelo pânico no término da pilha. Os caminhos eram quantificados como passado, no entanto eles permanecem tão presentes em mim.

Observei-os friamente e constatei que os percorri desconfiando do meu eu, acreditando que deixaria de bater a qualquer instante e considerando que ninguém me conseguiria mudar a pilha. Insisti que o meu relógio era vazio, era só meu e que não o queria partilhar com ninguém. Contudo, hoje admito que cada relojoeiro deteve um papel crucial para não desistir dos segundos posteriores.

Sei que persistiu, também, uma fase temporal em que neguei a minha doença, opus-me ao tratamento e ponderei que desistir seria o melhor ponteiro. Todavia, encontrei mais um ponteiro que atribuiu um significado autêntico a cada minuto de tratamento. Um total de horas não desperdiçadas, mas convertidas numa segunda oportunidade.

Aos poucos, as lágrimas fizeram-me regressar à dor ardente da agulha e à marquesa gélida. Levantei-me bastante atordoada e agarrada ao medo dos resultados. Olhei à minha volta e contabilizei que já passaram 9 meses, cerca de 6480 horas em que vivo o agora e em que gradualmente me desprendo daquele tempo.

Acredito que cada badalada me aproxima mais do sentido desta luta, que cada segundo é uma pedra para terminar um percurso longo e árduo e que a cada segundo estou a renascer e a dar um significado autêntico ao relógio da minha vida!

hourglass-1623517_960_720

Anúncios

Publicado por

O Blog Dia de Mudança relata o caminho de uma jovem de 25 anos desde o momento em que descobre que tem um Linfoma de Burkitt até à atualidade, onde demonstra como o corpo e a mente recuperam após meses de tratamentos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s