Uma questão de números.

Se um dia a vida nos obrigasse a calcular as razões pelas quais a queremos tanto seríamos capazes? Ou, simplesmente apresentar-lhe-íamos os números pelos quais vivemos? Contas e mais contas… O fecho das calças encravava, a camisa desabotoava, o soutien marcava e a barriga espreitava…sim, estou a engordar! Contudo, a balança sobe porque eu quero, porque tenho que […]

Ler Mais

Porra, que injustiça!

Os tempos suplicam união e força conjunta, porém existe algo bem mais forte: a dimensão do nosso ego e aquela invejazinha com um pequeno toque de frustração. Sentimentos arrebatadores que deterioram a autenticidade da imagem do Zé-Povinho e nos fazem “virar o bico ao prego”. Observamos o Mundo ou simplesmente a atitude dos nosso vizinhos e […]

Ler Mais

Para sempre juntos!

Descobrimos a omnisciência, a omnipresença e até a omnipotência por ela… mas será que ela é verdadeiramente merecedora de tais poderes? O fator surpresa aliado ao mistério de um ser estimula a nossa curiosidade e desponta uma vinculação emocional, pura e inquebrável. Deitada, confortavelmente, no sofá observava o domingo a amanhecer e procurava um programa para acompanhar […]

Ler Mais

Querido, temos que mudar de casa!

Mudar ou não mudar, eis a questão. Opções pequenas nas palavras mas grandes na dubiedade que ocasionam… Sabemos à priori que o nosso corpo, os nossos gostos, o nosso namorado ou até o nosso carro mudará. No entanto, hesitamos se queremos descobrir o novo ou vivermos com o que já conhecemos/temos. Iniciava-se uma nova estação com […]

Ler Mais

Tenho que ouvir outra música!

A música assume-se como um momento artístico de comunicação e expressão, em que uma voz transmite uma visão sobre a conjuntura que vive ou os sentimentos que o seu íntimo anseia revelar. A verdade, é que as palavras que se entoam detêm infinitas interpretações e dependem do estado em que os ouvidos estão. E, naquele instante os […]

Ler Mais

Protocolo a quanto obrigas!

Marcamos o ponto I com as nossas primeiras lágrimas e com a convicção que desenharemos uma linha reta, longa e firme até ao ponto F. E se nos esquecermos de alinhar a régua que linha traçaremos? Ansiava-o desde a matrícula; fantasiei-o inúmeras vezes; pressentia-o e ele finalmente chegou! É indiscutível a importância que ele assume na nossa juventude, […]

Ler Mais